4 passos para começar usar conteúdos em vídeo

Todo mundo que acessa a internet e as redes sociais já deve ter percebido um crescimento exponencial na produção de conteúdos em vídeo.

Em outras palavras, as postagens audiovisuais estão cada vez maiores, sendo que há bons motivos para isso.

De fato, se antes o marketing já nos ensinava que “uma imagem vale mais do que mil palavras”, hoje podemos dizer, com segurança e sem medo de errar, que um conteúdo audiovisual vale mais do que mil imagens ou fotos.

Basta imaginarmos a seguinte comparação, um anúncio de um nobreak com bateria externa que consiste de um vídeo de apresentação (ou uma peça publicitária com elementos ficcionais) e outro que conta apenas com frases explicativas.

Ora, não é preciso ser especialista em marketing ou publicidade para imaginar que a propaganda que conta com vídeo vai chamar muito mais atenção do que aquela que se limitou a usar textos, palavras e frases escritas.

Você nem precisa fazer a propaganda mais inteligente e marcante da história (lembrando que o Brasil é bem servido nessa área, pois temos dezenas de comerciais de televisão que fizeram época). Na verdade, um simples vídeo de review já compensa.

Lembrando que os reviews nada mais são do que produções audiovisuais que exploram o funcionamento de um produto ou os bastidores de um serviço. 

Ainda assim, eles contam como acao de marketing promocional, e são bastante promissores.

Além do mais, já não se trata de opinião: há várias pesquisas que comprovam essas vantagens. 

Por exemplo, um levantamento da Video Viewers de que nos últimos cinco anos o consumo de vídeos cresceu mais de 160% no Brasil.

Já para efeitos de marketing, um levantamento da Optinmonster verificou que mais de 90% das empresas que começaram a produzir e publicar audiovisual viram vantagens práticas no curto prazo. Sendo que a captação de leads aumentou em 66%.

Por isso, decidimos escrever este artigo, trazendo aqui os 4 passos essenciais para começar a usar conteúdos de vídeo em suas estratégias. 

Também mostraremos o que é a criação de conteúdo em si mesma e os impactos positivos que ela pode trazer.

O mais bacana é que hoje esse tipo de produção evoluiu tanto, que realmente já é possível aplicá-la a qualquer segmento de mercado, seja para vender produtos populares como computador novo ou para prestar serviços mais nichados.

Portanto, se você quer entender de uma vez por todas como os audiovisuais podem revolucionar a comunicação da sua empresa, melhorando as vendas e fortalecendo seu negócio, basta seguir adiante na leitura.

O que são conteúdos em vídeo?

Nos últimos anos, a geração de conteúdo se tornou uma das principais estratégias de marketing existentes, mudando o foco das maiores marcas do mundo.

Em vez de a empresa focar toda sua comunicação na solução ou em si mesma (como nas presumidas vantagens em relação à concorrência), agora ela foca no público-alvo, como modo de gerar atração, engajamento e fidelização.

A vantagem dos vídeos nesse universo é que eles são de fácil consumo, podendo tornar um serviço como o de clinica fisioterapia esportiva muito mais claro, fácil e atraente.

Basicamente, os traços principais do conteúdo em vídeo são:

  • Facilidade de compreensão;
  • Clareza, objetividade e dinâmica;
  • Alto nível de engajamento;
  • Transmissão de conhecimento;
  • Reafirmamento da autoridade;
  • Aumento de tráfego e de visitas;
  • Força contra distração e bounce rate.

Esses dois últimos pontos são fundamentais, o de bounce rate (taxa de rejeição) porque os vídeos não só evitam que esse indicador negativo cresça, como se tornam um ponto positivo em termos de SEO (Otimização de Páginas para Motores de Busca).

Também é no SEO que entra a questão do aumento de tráfego e de visitantes, justamente porque o audiovisual faz seu conteúdo ser melhor posicionado nos buscadores.

O poder do conteúdo em vídeo

Até aqui já ficou claro que a geração de conteúdo para redes sociais é importante em si mesma, e seria assim mesmo que não incluísse multimídias diversificadas na produção.

Mas, também é evidente que o elemento audiovisual pode ajudar e muito. 

Contudo, para isso ele precisa levar em conta todas as informações e conceitos desenvolvidos acima, bem como as demais dicas práticas que exploramos abaixo.

1. O planejamento

Um dos principais motivos para um vídeo não atender às expectativas é o resultado final ficar confuso, e não cumprir o básico da conexão entre a marca e o público.

O modo tradicional de evitar isso está no que você deve fazer antes de ligar a câmera. 

Por exemplo, se a empresa trabalha com sala privativa coworking, primeiro precisa entender melhor seu público-alvo, desenhando dois ou três perfis da sua persona.

Depois, é preciso fazer um breve estudo de mercado para compreender qual a linguagem e quais os interesses dessa clientela. 

Hoje a internet pode ajudar e muito nisso, seja para investigar a concorrência ou para falar diretamente com o público.

2. Tenha um roteiro

Imagine que você saiu para um dia cheio de afazeres e obrigações, muitas das quais são com hora marcada e exigem que você leve algum documento ou vista alguma roupa específica.

Contudo, você não anotou nada disso, não fez uma agenda ou um mapa com o itinerário dos compromissos. 

A empresa que decide gravar vídeos sem um roteiro está nessa situação, que certamente não é nada confortável.

Por isso, é preciso definir muito bem qual vai ser o assunto do vídeo, e depois de escrever ponto a ponto, desenhar um roteiro, que pode ser dividido em duas colunas.

Aqui você também já decide se vai precisar de um estúdio para ensaio, ou se vai produzir tudo por conta, com câmera (talvez o próprio celular), microfone e estrutura própria.

Seja como for, a primeira coluna do roteiro é justamente a do conteúdo, que poderá ser lido, decorado ou aparecer como legenda e informação na própria tela.

A segunda coluna diz respeito aos elementos gráficos e sonoros, que vão desde a edição, passando pelos efeitos aplicados, até eventuais legendas ou músicas que venham a ser inseridas no resultado final do vídeo.

Uma dica de ouro é lembrar que os primeiros sete segundos valem uma fortuna. 

Sendo assim, é neles que você cria o rapport, mostrando para o público que o vídeo será agradável de assistir. 

Depois, em um minuto precisa resumir tudo o que será entregue até o fim.

3. Use storytelling

Se tem algo que pode agregar todo um colorido à sua produção audiovisual é o modo como você vai contar sua história. 

Lembrando que, no fundo, tudo não passa de uma história que precisa ser contada.

Aí é que entra o storytelling, termo do inglês para “contar histórias”, como passo fundamental para começar a usar conteúdos em vídeo. 

Sendo que ele é algo que vai muito além, por isso, hoje é utilizado pelo marketing e até pelo cinema e pelos jogos.

A empresa pode trabalhar com algo tão objetivo quanto a área contábil ou jurídica ou com serviços práticos como produção de banner personalizado, mas certamente ela tem uma história por trás de tudo aquilo, bem como os seus donos.

Deste modo, a formulação básica do storytelling é o mito do herói, cujos elementos que podem ser reaproveitados pelos conteúdos de vídeo são:

  • Descrição do mundo totalmente comum;
  • Um chamado especial para algo grandioso;
  • O mentor que auxilia nessa empreitada;
  • Os desafios que surgem;
  • A provação e superação pelo caminho;
  • A recompensa e o aprendizado conseguido.

Em suma, se o seu roteiro seguir uma estrutura na qual a sua solução aparece como o mentor que pode tirar a pessoa do mundo comum, o resultado será bem maior.

4. Seja compartilhável

Por fim, depois de considerar questões técnicas de áudio, vídeo, edição, roteiro e até storytelling, certamente você vai querer que seu vídeo seja compartilhado.

O importante aqui é saber utilizar um título objetivo e aplicar gatilhos mentais na descrição do vídeo (com CTA, que são Chamados para Ação) e até utilizar hashtags na hora de publicar, aumentando e muito a otimização e o alcance.

Por exemplo, se a empresa trabalha com convites personalizados, ela pode usar o gatilho da prova social. 

Com ele, é possível trazer testemunhos e cases de sucesso de pessoas que não apenas já compraram, mas também aprovam a solução oferecida.

Lembrando que o CTA pode ser muito simples, como simplesmente pedir algo do tipo “Se gostou deste conteúdo, compartilhe”. 

O ponto é que às vezes as pessoas não fazem isso, simplesmente porque não foram convidadas a fazer.

Considerações finais

Começar a usar conteúdo em vídeo é algo extremamente promissor, porém, deve ir muito além de simplesmente ligar a câmera e sair falando qualquer coisa.

É preciso pensar em termos de planejamento, roteirização e humanização da marca por meio de storytelling

Além dos passos necessários para fazer o vídeo “bombar”, sendo compartilhado pelo maior número de pessoas.

Com os conceitos indispensáveis e os 4 conselhos práticos que trouxemos acima, certamente você vai conseguir dar seus primeiros passos rumo ao sucesso.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Quer receber meus conteúdos exclusivos? Inscreva-se  na minha Newsletter.